PROFECIAS DO PROFETA MUHAMMAD NA BÍBLIA PARTE 4

Ir em baixo

PROFECIAS DO PROFETA MUHAMMAD NA BÍBLIA PARTE 4

Mensagem por Admin em Dom Jul 09, 2017 1:04 am

PAGINAS ANTERIORES:
PROFECIAS DO PROFETA MUHAMMAD NA BÍBLIA PARTE 1
http://islam-moz.forumotion.eu/t28-a-profecia-do-profeta-muhammad-na-biblia
PROFECIAS DO PROFETA MUHAMMAD NA BÍBLIA PARTE 2
http://islam-moz.forumotion.eu/t29-as-profecias-do-profeta-mohammad-na-biblia-parte-2

PROFECIAS DO PROFETA MUHAMMAD NA BÍBLIA PARTE
3
http://islam-moz.forumotion.eu/t30-profecias-do-profeta-muhammad-na-biblia-parte-3

CONTINUANDO:
PROFECIAS DO PROFETA MUHAMMAD NA BÍBLIA PARTE 4


SEMELHANÇAS ENTRE AS DUAS

VERSÕES

Como esta tradição (bíblica) se compara com a versão Islâmica?

Pelo menos três semelhanças entre as duas versões são aparentes:

i) Hagar e Ismael foram levados da Palestina para viver no deserto (de Paran).

ii) Quando não lhe sobrou mais água, Hagar temeu pela vida de seu filho Ismael.

iii) Inesperadamente, Hagar teve acesso à água que ela deu ao menino para salvar-lhe a vida.


DIFERENÇAS ENTRE AS DUAS VERSÕES

De acordo com a versão Islâmica:
Hagar e Ismael foram levados devido a uma instrução divina dada a Abraão, como parte do plano divino.

No momento certo, a missão de mensageiro seria transferida dos israelitas aos ismaelitas, depois de os israelitas rejeitarem Jesus, o último profeta Israelita.

Hagar e Ismael foram levados ao deserto da Arábia, especificamente Makkah (Mecca), e não a Beer Sheba.

Este incidente ocorreu antes do nascimento de Isaac, e não depois, quando Ismael era ainda um bebê, confirmando a verdadeira razão para o exílio de Hagar e Ismael, conforme descrito acima.

ANÁLISE DAS DIFERENÇAS

É possível reconciliar estas diferenças?

Vamos nos concentrar na última diferença:

o incidente ocorreu antes ou depois do nascimento de Isaac?

Se fôssemos aceitar a versão bíblica, várias contradições e inconsistências seriam encontradas.

Baseado na história relatada em Gen. 21:14-19, é bastante claro que Ismael era um bebê na ocasião.

A documentação desta afirmação segue abaixo:
De acordo com Gen. 16:16, Abraão tinha 86 anos quando Ismael nasceu.

E, de acordo com Gen. 21:5, Abraão tinha 100 anos quando Isaac nasceu.

Segue, portanto, que Ismael tinha quatorze anos quando Isaac, seu irmão mais novo, nasceu.

De acordo com Gen. 21:14-19, este incidente ocorreu depois que Isaac foi desmamado.

Estudiosos da Bíblia nos informam que “a criança foi desmamada aos três anos". Portanto, Hagar e Ismael foram levados para “Paran” quando Ismael era um adolescente de dezessete anos.

O perfil de Ismael em Gen. 21:14-19 é, entretanto, o de um bebê e não de um adolescente. Por quê?

Primeiro: De acordo com o Interpreter’s Bible, a versão original de Gen. 21:14 em hebreu era: “… e põe o filho no seu ombro”.

O mesmo é lido na Revised Standard Edition da Bíblia. Como pode uma mãe carregar um adolescente de dezessete anos “nos seus ombros”?

Ele certamente era forte o suficiente para carregar a sua mãe! Ismael tem que ter sido um bebê!

Segundo: Gen. 21:15 nos informa que Hagar deitou o filho embaixo de um arbusto. Novamente, de acordo com este texto da Bíblia, Ismael tinha que ser um bebê, e não um adolescente.


Terceiro: Gen. 21:16 nos informa que Hagar sentou-se distante do filho para não o ver morrendo. Este é um perfil de um adolescente de dezessete anos que, provavelmete, era capaz de se preocupar com a mãe morrendo na sua frente?

Ou é obviamente o perfil de um bebê desamparado ou, no máximo, uma pequena criança?

Quarto: De acordo com Gen. 21:17, os anjos pediram a Hagar que “levante-se e segure o menino”. Um jovem de dezessete anos é um objeto apropriado para ser “levantado” por uma mulher?

Ou seria aquela referência a uma pequena criança, ou a um bebê?

Quinto: Em Gen. 21:19 somos informados de que Hagar foi encher uma garrafa de água “para que o menino bebesse”. Em vez disto, não se espera que um forte jovem de dezessete anos vá buscar água para sua mãe?


A análise acima nos leva à conclusão inevitável de que, apesar das verdades contidas na Bíblia, existem evidências de que adições, eliminações e interpolações foram feitas em seu conteúdo, que somente uma revelação autêntica posterior (o Alcorão) poderia esclarecer.

A versão Islâmica dessa história é completamente consistente e coerente de A a Z; Ismael era um bebê e Isaac ainda não havia nascido quando o incidente ocorreu. A coerência e consistência são confirmadas por séculos de tradição e até mesmo na região de Makkah (Mecca), onde Hagar e Ismael se estabeleceram.

Isto claramente indica que a verdadeira razão de seu estabelecimento na Arábia (Paran) não foram a ordem, os ciúmes, o ego ou o senso de superioridade racial por parte de Sarah; mas pura e simplesmente o plano de Deus.

É importante indicar que este incidente não é a única inconsistência em relação à história de Ismael.

The Interpreter’s Bible compara a história de Hagar e Ismael em Gen. 21:14-19, com um capítulo anterior (Gen. 16:1-16) e conlcui: “a inclusão em Gênesis de duas histórias tão semelhantes, mas suficientemente diferentes ao ponto de serem inconsistentes, é um dos vários exemplos da relutância dos compiladores em sacrificar quaisquer tradições estabelecidas em Israel."


O Símbolo do Pacto de Deus com Ismael e seus Descendentes
De acordo com Gen. 17:10-14, a circuncisão era considerada um símbolo do pacto com Deus e um sinal de monoteísmo, isto é, purificar-se do politeísmo.

A importância da circuncisão foi mais tarde reiterada pelos estudiosos cristãos da Bíblia, indicando não se tratar de um simples ato externo:
“Este era Seu próprio sinal e selo, demonstrando que Israel era o povo escolhido. Através deste, a vida de um homem era ligada a uma grande comunhão, cuja dignidade era sua elevada consciência de que devia realizar os objetivos de Deus”

Esta imagem se completa ao referirmo-nos a Gen. 17:23-27, onde somos informados de que Abraão levou Ismael e todos os meninos nascidos na sua casa para serem circuncisados.

Comentando sobre este fato, o Interpreter’s Bible admite que os ismaelitas e outros descendentes de Abraão estavam “de alguma forma participando do pacto Abraâmico”
É de se notar que, até hoje, o descendente de Ismael, Profeta Mohammed, e os seus seguidores continuam fiéis a este pacto.

Circuncisão é um requisito para todos os homens muçulmanos.

Usando as palavras do Interpreter’s Bible, isto não significa que foi um “sinal e selo” de Deus, de que os ismaelitas também faziam parte do Seu pacto, devido ao seu compromisso de purificar sua crença de todas as formas de politeísmo e de restabelecer o puro e verdadeiro monoteísmo do seu avô Abraão?

Não estão eles mais próximos do pacto Abraâmico do que aqueles que encontraram desculpas para não praticar a circuncisão?

Certamente várias nações do mundo foram abençoadas através de Abraão. Aqueles mais próximos de Abraão, da pureza e do alcance universal do monoteísmo por ele ensinado, e do “sinal e selo” do pacto com Deus, são hoje encontrados entre os seguidores de Mohammed, o notável descendente de Ismael. Mesmo sem a relação sanguínea, que é indiscutível, a relação mais importante com Abraão é a relação de fé nas palavras de Deus:

“Abraão não era Judeu ou Cristão; mas ele era sincero em Fé, e sucumbiu a sua vontade a Deus (era muçulmano), e não associou deuses com Deus.

Sem dúvida, entre os povos, os mais próximos a Abraão são os que o seguem, assim como este apóstolo (Mohammad) e aqueles que crêem. E Deus é o Protetor daqueles que têm fé.” (Alcorão 3:67-68)

Mais Evidências Sobre a Linhagem do Profeta tão Esperado
A presente discussão é mais do que suficiente para demonstrar que o advento do Profeta Mohammed, um descendente de Ismael, é de fato a concretização da promessa feita a Abraão e Hagar (Gen. 21:13 & 18).

Uma confirmação adicional que não deixa dúvida nenhum é encontrada no livro de Isaías (Ch. 11:1-2):

“E do tronco de Jesse virá um varão, e um ramo crescerá de suas raízes. E o Espírito do Senhor estará sobre ele, o espírito de sabedoria e entendimento, o espírito de aconselhamento e poder, o espírito de conhecimento, e de temor ao Senhor.”

A descrição acima é de alguém que será um profeta, uma chefe de estado e um juiz, e um dos descendentes de “Jessé”.

Quem é “Jessé”?

E quem se encaixou nessa descrição?

Alguns afirmam que “Jessé” é uma referência ao pai de Davi. Entretanto, de acordo com Encyclopedia Biblica, lemos:

“Jessé é contração de Ismael”

O único que veio do tronco de Ismael, e que foi um profeta, chefe de estado e juiz foi o Profeta Mohammed.

II CARACTERÍSTICAS DO PROFETA ESPERADO .

– Um Profeta como Moisés
Segundo Deuteronômio, o Profeta Moisés (que a paz esteja com ele) disse:

“E o Senhor me disse,que eles falaram o que falaram? eles bem disseram o que disseram?, Eu lhes trarei um Profeta dentre seus primos, como você, e porei as minhas palavras na sua boca; e ele lhes dirá tudo que Eu ordenar” (Deutornômio 18:17-18)

Três elementos importantes são incluídos nesta profecia: Um profeta virá dentre os “primos” dos Israelitas; este profeta será “como” Moisés; Deus porá Suas palavras na boca deste profeta.

Vamos analisar cada um destes elementos:

UM PROFETA DENTRE OS PRIMOS DOS ISRAELITAS
Estas palavras foram ditas aos israelitas. Os primos mais notáveis dos Israelitas (descendentes de Abraão, através do seu segundo filho Isaac) são os ismaelitas (descedentes de Abraão, através do seu primeiro filho Ismael).

De acordo com o Hebrew Dictionary of The Bible, a palavra “primos” significa:
“Personificação de um grupo de tribos consideradas parentes próximos dos Israelitas”

A Bíblia se refera aos israelitas como primos dos ismaelitas (por exemplo, Gen. 16:21 & Gen. 25:18)


UM PROFETA COMO MOISÉS
Algumas vezes, Jesus é considerado um profeta como Moisés, pois os dois eram israelitas e instrutores espirituais. Esta profecia foi realmente sobre Jesus?

Para começar, Jesus era um israelita, e não um “primo” dos israelitas. Este fato é suficiente para demonstrar que esta profecia não era sobre a vinda de Jesus, mas sobre outro profeta como Moisés. Esse outro só poderia ter sido o Profeta Mohammed.

e também a própria bíblia menciona no livro de Deutornômio:

" JA MAIS SURGIU EM ISRAEL PROFETA COMO MOISÉS..."

Tendo em conta que Jesus é Israelita é uma prova clara que ele não pertence a profecia do livro de Deutornômio 18:18 mas sim Muhammad ( que a paz esteja sobre ele).

assim ficou minha contribuição sobre este tema.

Por: Jamal Badawi
Traduzido por: Hasina Abdu e revisado por Mônica Muniz.
editado por: Anacleto Bebane (Abdul Fatah)

_________________
o Nabi MUHAMMAD Sualallah alei wa salam disse Partilhem de mim nem que seja um Ayat versículo.

_________________
por: Anacleto Bebane (Abdul Fatah)

Admin
Admin

Mensagens : 146
Data de inscrição : 02/07/2017
Idade : 31
Localização : MAPUTO ( Moçambique)

Ver perfil do usuário http://islam-moz.forumotion.eu

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum